DIABETES (INÍCIO)

VEJA NESTE VÍDEO O QUE É O DIABETES

O DIABETES É TÃO ANTIGA QUANTO A PRÓPRIA HUMANIDADE

O DIABETES É TÃO ANTIGA QUANTO A PRÓPRIA HUMANIDADE

DIABETES TÃO ANTIGA QUANTO A PRÓPRIA HUMANIDADE - www.nutricaosaudebeleza.com.br

O DIABETE MELLITUS é uma doença tão antiga como a própria humanidade, haja vista, que na História Universal, há registros que constituem verdadeiros marcos relatando progressos das observações clínicas e das pesquisas em torno da doença. (SANTOS et al., 2008).

Em grego DIABETES significa "SIFÃO" (tubo para respirar água),  nome dado devido aos dois sintomas da doença: Sede Intensa e urina em grande quantidade. Ainda como uma patologia ignorada, em 1500 a.C., ocorreu o primeiro casso de Diabetes no Egito. Somente no século I, d.C, a terminologia MELLITUS, que em Latim significa MEL, uniu-se à palavra DIABETES, sendo assim chamada de "URINA DOCE". (ALCANTARA et al. , 2008).

Conhecer o Diabetes é muito importante para a sua vida

O DIABETES SERÁ CAPAZ DE AFETÁ-LO(A)
Aproximadamente 415 milhões de adultos têm diabetes; Até 2040, isso aumentará para 642 milhões
DIABETES TIPO 2 É A QUE MAIS AUMENTA NOS PAÍSES DO MUNDO
A proporção de pessoas com diabetes tipo 2 está aumentando na maioria dos países 75% dos adultos com diabetes vivem em países de baixa e média renda
CUIDADO! VOCÊ PODE TER DIABETES E AINDA NÃO FOI DIAGNOSTICADO
O maior número de pessoas com diabetes tem entre 40 e 59 anos de Idade 1 em 2 (46%) pessoas com diabetes não diagnosticadas.
DIABETE MATA
Diabetes causou 5 milhões de mortes em 2015; A cada seis segundos, uma pessoa morre de diabetes.
DIABETES MALTRATA CRIANÇAS
Mais de 542 mil crianças viveram com diabetes tipo 1 em 2015
NASCIDOS TAMBÉM SÃO AFETADOS POR DIABETES
Mais de 20,9 milhões de nascidos vivos foram afetados pelo diabetes
  • " Mais cedo ou mais tarde, você vai perceber mais profundamente as vantagens de escolher controlar o Diabetes."

     

     

    Albamonte, Coach

O QUE É DIABETES?

 

O QUE É DIABETES?

DIABETES - www.nutricaosaudebeleza.com.br

O diabetes é considerado fator de risco, principalmente devido aos distúrbios importantes causados no metabolismo de lipídeos. O diabetes mellitus é uma síndrome de comprometimento do metabolismo dos carboidratos, das gorduras e das proteínas, causada pela ausência de secreção de insulina ou por redução da sensibilidade dos tecidos à insulina. Um aspecto característico desta doença consiste na resposta secretora defeituosa ou deficiente de insulina, que se manifesta na utilização inadequada dos carboidratos (glicose), com consequente hiperglicemia (COTRAN, KUMAR; ROBBINS, 1994).
Se um indivíduo não tem glicose nas células, o organismo vai obter energia de outra fonte (lipídios). A glicose é o principal sinalizador para o pâncreas liberar a insulina pelas células β das ilhotas de Langerhans (GUYTON; HALL, 1997).

OS TRANSPORTADORES DE GLICOSE - GLUT

O trânsito dos metabólitos ( composto que resulta do processo de metabolismo) entre os tecidos exige mecanismos para o transporte dessas substâncias para dentro e para fora das células. A glicose é transportada para dentro das células por esses carregadores protéicos, denomidados GLUT (transportadores de glicose).

A maior parte da glicose vai para a via glicolítica, onde a maior parte é transformada em glicogênio (estoque de glicose). Em situação de jejum prolongado e diabetes, as células ficam com falta de glicose, então, há quebra dos triglicérides para obter
energia (AZEVEDO; GROSS, 1990).
O diabetes é um distúrbio no metabolismo da glicose do organismo, no qual a glicose presente no sangue passa pela urina sem ser usada como um nutriente pelo corpo (GUYTON; HALL, 1997) .

O DIABETES ESTÁ ASSOCIADO AO AUMENTO DA MORTALIDADE

O diabetes está associado ao aumento da mortalidade e ao alto risco de desenvolvimento de complicações micro e macro-vasculares, como também de neuropatias. Pode resultar em cegueiras, insuficiência renal e amputações de membros, sendo responsável por gastos excessivos em saúde e substancial redução da capacidade de trabalho e da expectativa de vida (BATISTA ; et al, 2005) .

O DIABETES É UMA DOENÇA CRÔNICA

Diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas já não é capaz de fazer insulina, ou quando o corpo não pode fazer bom uso da insulina que produz. A insulina é um hormônio feito pelo pâncreas, que age como uma chave para que a glicose dos alimentos que comemos passe da corrente sanguínea nas células do corpo para produzir energia.

Todos os alimentos com carboidratos são divididos em glicose (açúcar) no sangue.

A insulina ajuda a glicose a entrar nas células.

Não ser capaz de produzir insulina ou usá-lo efetivamente leva a níveis elevados de glicose no sangue (conhecido como hiperglicemia). Sobre os altos níveis de glicose a longo prazo estão associados com danos ao corpo e falha de vários órgãos e tecidos. (International Diabetes Federations)

O DIABETES É UMA DOENÇA QUE AUMENTA A QUANTIDADE DE GLICOSE NO SANGUE

A Diabetes é uma Doença que aumenta a quantidade de glicose no sangue. Ela se manifesta quando o organismo não consegue utilizar os nutrientes (derivados de carboidratos, proteínas e gorduras), provenientes da digestão dos alimentos, para produzir energia e mover o corpo ou para armazená-los nos órgãos como o fígado, músculos e células gordurosas.

Não é uma doença única, mas um distúrbio genético e clinicamente heterogêneo que apresenta em comum a hiperglicemia, a qual é o resultado de defeitos na ação da insulina, na secreção desta ou em ambos (SBD, 2009b; SHILS, M.E. e cols., 2009).

O QUE É A INSULINA?

o que é insulina? www.nutricaosaudebeleza.com.br

O Pâncreas, que é um órgão do nosso corpo, produz a insulina que é um hormônio que ajuda a glicose a entrar na célula. As células transformam glicose em energia. Se não houver insulina ou se sua quantidade estiver baixa, a glicose se acumula no sangue e as células ficam sem energia para funcionar. Sendo assim, podemos dizer que a insulina é quem transporta a glicose até as células, como os correios fazem com as suas cartas; que são entregue direitinho em sua casa. No seu organismo o carteiro é a insulina, a carta a glicose e a sua casa é a célula.

A insulina é um hormônio feito pelo pâncreas, que age como uma chave para que a glicose dos alimentos que comemos passe da corrente sanguínea nas células do corpo para produzir energia.

A insulina tem papel fundamental no controle da glicemia, pois é ele quem estimula a entrada do açúcar nas células, conforme dissemos acima, onde será metabolizado e transformado em energia ou armazenado na forma de gordura.

RESISTÊNCIA À INSULINA

Quando o hormônio é liberado em quantidade suficiente, mas não consegue agir adequadamente nas células, esse processo é chamado de resistência à insulina, e pode indicar o início da doença, evoluindo para diabetes. (Fonte: Cartilha de orientação sobre diabetes – USFJ)

O QUE É A GLICOSE?

glicose - www.nutricaosaudebeleza,com.br

A glicose é um açúcar que é a fonte de energia das células e por isso é chamada de “combustível do organismo”. Tanto o açúcar industrializado (sacarose) quanto o encontrado nas farinhas, cereais e raízes (amido) são carboidratos. Após comer estes alimentos, eles são transformados no intestino em sua forma mais simples: a glicose. Sendo assim, uma grande parte do que comemos, no final, vira glicose: a batata, o bolo, o arroz, o macarrão, o pão francês, entre outros.

O QUE É GLICEMIA E/OU ÍNDICE GLICÊMICO?

diabetes - glicemia - www.nutricaosaudebeleza.com.br

Glicemia é o nome dado à quantidade de glicose (açúcar) existente no sangue

Índice Glicêmico é a quantidade desse açúcar no sangue sendo conhecida como nível glicêmico ou glicemia.

Esse resultado está relacionado à insulina produzida pelo pâncreas e à quantidade de carboidratos ingeridos ao longo do dia.

Dessa forma, o alto consumo de carboidratos provoca a elevação da glicemia. Em pessoas saudáveis, o pâncreas compensa o excesso produzindo mais insulina para que a glicose seja absorvida pelas células. Quando o pâncreas não consegue aumentar a produção de insulina, temos um quadro de diabetes.

 

O QUE É CARGA GLICÊMICA?

FATIA DE MELANCIA - CARGA GLICÊMICA www.nutricasaudebeleza.com.br

A Carga Glicêmica difere do Índice Glicêmico, porque o seu valor, considera a QUANTIDADE e a QUALIDADE da glicose , numa porção de alimento que se consome usualmente.

A melancia, por exemplo, apresenta um elevado Índice Glicêmico (IG=80%), porém, se um indivíduo comer apenas uma fatia de 120 g. ele encontrará, apenas 6 gr. de carboidrato (glicose) que esta fatia apresenta, o que a caracteriza como um alimento de baixa Carga Glicêmica.